Pichação na sede do PT de Porto Alegre escancara sequestro dos protestos pela direita


Por Erick da Silva

Algumas vezes, um aparente pequeno e isolado ato pode ser emblemático para nos ajudar a compreender um processo conjuntural mais amplo e complexo.

Desde as chamadas "jornadas de junho", o rumo das manifestações passaram por inúmeras transformações e neste inicio de 2014, avizinha-se uma migração definitiva para um outro caráter político, bastante distinto de uma perspectivava de esquerda. Não pretendemos aqui uma analise conclusiva e definitiva, mas as ações dizem muito.


Em Porto Alegre, na quinta-feira (20/02), o coletivo "Bloco de Luta pelo Transporte Público" realizou protesto em Porto Alegre que tornou nítido o caráter político que as manifestações podem estar assumindo. Poucas centenas de pessoas protestaram, entre outras pautas, contra a realização da Copa do Mundo.

Mas não é o mote do "Não vai ter Copa" que se apresentou como "novidade" neste protesto. Ao marcharem pelas ruas da cidade, o grupo passou na frente do diretório do PT de Porto Alegre, embalado por vaias e palavras de ordem contra o PT, um "mascarado" pichou a frase "Dilma = Maduro" na fachada da sede, em clara referência aos protestos na Venezuela.

Um novo golpe de Estado está sendo gestado na Venezuela, (veja aqui), pretendem derrubar o presidente Nicolás Maduro, democraticamente eleito. Ao pichar a frase "Dima = Maduro", explicitou a intenção de alguns com relação aos protestos: derrubar o governo Dilma.

Ainda que aparentemente tenha sido uma ação "isolada" - conforme relatam integrantes do Bloco nas redes sociais, ela é significativa da mutação política que ocorre nestes tipos de protesto. É pouco provável que os integrantes da vanguarda do Bloco de Lutas tenham nos protestos golpistas contra a revolução bolivariana uma referência política. No entanto, o que é inegável é o crescimento de elementos nitidamente conservadores no bojo dos protestos. Não é algo que já não tenha ocorrido em junho, no entanto, frente aos acontecimentos políticos com nossos vizinhos venezuelanos, a situação exige uma atenção redobrada. A frase escancara o sequestro dos protestos pela direita.

A presença da direita nos protestos não se ocorre apenas de maneira organizada, pelos seus diferentes grupos, mas também é fruto da ação espontânea e despolitizada de alguns. Protestos que, em essência são multifacetados, sem uma pauta política "classista" mais definida, com uma agenda política difusa e pouco organizativa, permitem que uma parcela deste ativismo espontâneo, organizado em rede, seja "sequestrado" de uma perspectiva transformadora e levados para a direita. Pautas como "combate a corrupção" e "democracia" são exemplos claros de como uma agenda "progressista" pode facilmente ser penetrada pelo conservadorismo.


Dima = Maduro

A frase pichada é emblemática e correta. Dilma é igual a Maduro. Não pelos seus governos e posturas políticas, que guardam inúmeras e notáveis diferenças. Dilma e Maduro são iguais pelo que representam. Ambos os governos dão continuidade a um processo de integração latinoamericana que busca um caminho autônomo e posneoliberal, que se iniciou em 1998 com a eleição de Hugo Chávez na Venezuela e com a de Lula no Brasil em 2002, seguindo com a vitória eleitoral de inúmeros governos progressistas na América do Sul.

Frente a ausência de uma oposição consistente, com condições de derrotar eleitoralmente, o golpismo torna-se a opção adotada por setores que almejam o regresso aos tempos de subordinação ao capital internacional, ao imperialismo e aos privilégios para poucos dos tempos de governos neoliberais.

As recentes pesquisas eleitorais apontam para uma grande possibilidade de vitória ainda no primeiro turno da presidenta Dilma. Os protestos contra a copa podem ser a tão sonhada "bala de prata" da oposição para derrotar a candidata petista, como bem observou Flávio Aguiar, "Ao invés de apostas programáticas – já que os verdadeiros programas de direita no Brasil são inconfessáveis pelos candidatos, embora existam –, só lhes resta apostar nos antiprogramas, nas catástrofes políticas e sociais possíveis e imagináveis. E nas inimagináveis também."

Conseguirá se consolidar o sequestro dos protestos pela direita é uma questão ainda em aberto. A própria capacidade de mobilização dos protestos está em xeque. Ser crítico ou radicalmente contrário a Copa do Mundo, ou defensor da mesma não é, por si só, um ponto de clivagem que determina a posição política como mais de "esquerda" ou de "direita". É um debate necessário, complexo, mas que não é, de nenhuma forma, pontualmente definidor. A necessidade de se politizar a "voz das ruas" é difícil e necessária. Uma saída possível é uma aposta na rearticulação dos movimentos sociais "tradicionais" (CUT, MST, UNE, etc.) em uma agenda de mobilizações por pautas que dialoguem com as necessárias mudanças no Brasil, como a do Plebiscito da Reforma Política. Tornar o tema da Reforma Política uma agenda com uma efetiva mobilização social pode ser um bom caminho, mesmo com as evidentes dificuldades conjunturais.

Disputar "corações e mentes" para evidenciar que está em jogo, na conjuntura nacional e internacional, vai muito além da realização da Copa é uma tarefa que se impõe. No ano que se completam 50 anos do golpe militar, não podemos permitir que lutas legitimas sejam transformadas em instrumento para golpismos.
.

10 comentários:

Newton Carneiro disse...

Me parece que pensar o Dilma = Maduro = derrubar Dilma não é o foco mais relevante deste fato. Não neste momento ou por este gesto. Mas sim de que alguns (ou muitos? quantos?) dos participantes destas ações não compreendem de modo algum o que esta acontecendo na Venezuela (e se compreendem, ainda mais preocupante se torna este gesto). O quanto o oportunismo, o golpismo e o fascismo estão em voga e seguem sendo financiados, neste momento, na Venezuela e em outras partes do planeta. Ao criticarem abertamente o governo venezuelano, pessoas que integram estas manifestações expressam absoluta ignorância com o que acontece no mundo ou, pior, compreendem, concordam e fazem de um campo reacionário e/ou manipulado pela grande mídia golpista.

Anônimo disse...

Sempre tem um porra louca pra fazer uma merda!
Desse jeito a coisa vai se perdendo

Anônimo disse...

Todos com aparência de marginais.

Aposto que deve ter gente no meio desses com lista bem longa de crimes em alguma delegacia. BANDO DE COVARDES!

Nan disse...

Quem escreve "PRESIDENTA" perde toda a credibilidade... Ela é PRESIDENTE! Quer chamar de presidenta vai ter que chamar ela de governanta também kkkkkk

Anônimo disse...

Então todo anti-petista = direita ? Desde quando o PT é proprietário exclusivo da esquerda ? Como sempre, SEMPRE, a corja pró-governo demonstra que tem o poder de raciocínio de um prematuro mal amamentado. A militância politica no país da banana mal tem identidade, que dirá partido unificado. Esse blogzinho é tão digno de credibilidade quanto o Não Salvo (risos).

Anônimo disse...

isso ae, cara! revolucionário é ser contra a Revolução Bolivariana, cara! Contras as cotas e os bolsa-esmola, cara! Contra as ditaduras fifa-bolchevistas, cara! Triste fim da ironia: Dilma e Maduro estão sendo condenados não pelos seus erros (que são muitos), mas pelos seus acertos!

Anônimo disse...

Black Block são a falência dos protestos.

(SOCIO)LOGANDO EM BELÉM disse...

Pois é né, parece que brasileiro é maniaco em torcer contra o Brasil, que já foi chamado até de republiqueta de banana, que já teve no governo Sarney inflação de quase 110%, que já teve pasmem mais de meio século de ditaduras, que teve um presidente PHD ainda por cima sociólogo, que se apoderou também do pais por 8 anos, comprou a reeleição com o dinheiro público, não fez a as Reformas politica, tributaria, do Judiciario que já é tempo de ser inamovivel e vitalicio e ja deveria há muito tempo ter deixado de defender o status quo e realmente assumfender a legitimidade dos fatos e não fazer acordos também espurios ou fazer de conta que está fazendo justiça para se promover politicamente.
Já não era sem tempo de elermos tambem estessenhores, que ao serem indicados por partidos ou aprovados pelo Senado fazem o jogo dessa maneira clientelista, nepotista de fazer politica. Estamos no terceiro milenio e ninguem inova nada. A mesmice continua. Há ministros do Supremo que diz asneiras para o povo ver e a midia que faz a denuncia não se pronuncia a respeito. Senão vejamos "o julgamento não deve ser politico, mas técnico". Ora senhor ministro e povo brasileiro, todo julgmento é politico ideologico, mesmo os que clamam pelo técnico. O que não deve ocorrer é a partidarzação do julgamento. E isso que presenciamos todos os dias. Ea midia marron que recebe concessão publica e mantida com o dinheiro do contribuinte, não estuda e nemo seu papel no compromisso com a verdade. Clama por liberdade de imprensa, mas não denuncia realmente não com imparcialidade porque isso não exeiste; mas do compromisso com informações adequadas a compreensaão dos fatos. Digo isso porque compreendo que essa midia que so defende os direitos quando é acuada como foi o caso Santiago. Nada contra a defesa da classe, todo dia morre gente emrazao da truculencia da policia ou desse block pagos pelos partidos e empresarios que tem intereese em estabelecer o caos pensando que vão desmoralizar os governos, são falsos cidadãos que torcem contra o Brasil. Fora todos os "brasileiros" que torcem contra nosso pais, que ´´e o melhor do mundo pra se viver..... Acabemos os feudos instalados no país de norte a Sul de Leste a oeste. Cassemos todos esses caciques que se instalaram no pais há 20 anos como é o caso de São Paulo e outros.

(SOCIO)LOGANDO EM BELÉM disse...

Pois é né, parece que brasileiro é maniaco em torcer contra o Brasil, que já foi chamado até de republiqueta de banana, que já teve no governo Sarney inflação de quase 110%, que já teve pasmem mais de meio século de ditaduras, que teve um presidente PHD ainda por cima sociólogo, que se apoderou também do pais por 8 anos, comprou a reeleição com o dinheiro público, não fez a as Reformas politica, tributaria, do Judiciario que já é tempo de ser inamovivel e vitalicio e ja deveria há muito tempo ter deixado de defender o status quo e realmente assumfender a legitimidade dos fatos e não fazer acordos também espurios ou fazer de conta que está fazendo justiça para se promover politicamente.
Já não era sem tempo de elermos tambem estessenhores, que ao serem indicados por partidos ou aprovados pelo Senado fazem o jogo dessa maneira clientelista, nepotista de fazer politica. Estamos no terceiro milenio e ninguem inova nada. A mesmice continua. Há ministros do Supremo que diz asneiras para o povo ver e a midia que faz a denuncia não se pronuncia a respeito. Senão vejamos "o julgamento não deve ser politico, mas técnico". Ora senhor ministro e povo brasileiro, todo julgmento é politico ideologico, mesmo os que clamam pelo técnico. O que não deve ocorrer é a partidarzação do julgamento. E isso que presenciamos todos os dias. Ea midia marron que recebe concessão publica e mantida com o dinheiro do contribuinte, não estuda e nemo seu papel no compromisso com a verdade. Clama por liberdade de imprensa, mas não denuncia realmente não com imparcialidade porque isso não exeiste; mas do compromisso com informações adequadas a compreensaão dos fatos. Digo isso porque compreendo que essa midia que so defende os direitos quando é acuada como foi o caso Santiago. Nada contra a defesa da classe, todo dia morre gente emrazao da truculencia da policia ou desse block pagos pelos partidos e empresarios que tem intereese em estabelecer o caos pensando que vão desmoralizar os governos, são falsos cidadãos que torcem contra o Brasil. Fora todos os "brasileiros" que torcem contra nosso pais, que ´´e o melhor do mundo pra se viver..... Acabemos os feudos instalados no país de norte a Sul de Leste a oeste. Cassemos todos esses caciques que se instalaram no pais há 20 anos como é o caso de São Paulo e outros.

(SOCIO)LOGANDO EM BELÉM disse...

Pois é né, parece que brasileiro é maniaco em torcer contra o Brasil, que já foi chamado até de republiqueta de banana, que já teve no governo Sarney inflação de quase 110%, que já teve pasmem mais de meio século de ditaduras, que teve um presidente PHD ainda por cima sociólogo, que se apoderou também do pais por 8 anos, comprou a reeleição com o dinheiro público, não fez a as Reformas politica, tributaria, do Judiciario que já é tempo de ser inamovivel e vitalicio e ja deveria há muito tempo ter deixado de defender o status quo e realmente assumfender a legitimidade dos fatos e não fazer acordos também espurios ou fazer de conta que está fazendo justiça para se promover politicamente.
Já não era sem tempo de elermos tambem estessenhores, que ao serem indicados por partidos ou aprovados pelo Senado fazem o jogo dessa maneira clientelista, nepotista de fazer politica. Estamos no terceiro milenio e ninguem inova nada. A mesmice continua. Há ministros do Supremo que diz asneiras para o povo ver e a midia que faz a denuncia não se pronuncia a respeito. Senão vejamos "o julgamento não deve ser politico, mas técnico". Ora senhor ministro e povo brasileiro, todo julgmento é politico ideologico, mesmo os que clamam pelo técnico. O que não deve ocorrer é a partidarzação do julgamento. E isso que presenciamos todos os dias. Ea midia marron que recebe concessão publica e mantida com o dinheiro do contribuinte, não estuda e nemo seu papel no compromisso com a verdade. Clama por liberdade de imprensa, mas não denuncia realmente não com imparcialidade porque isso não exeiste; mas do compromisso com informações adequadas a compreensaão dos fatos. Digo isso porque compreendo que essa midia que so defende os direitos quando é acuada como foi o caso Santiago. Nada contra a defesa da classe, todo dia morre gente emrazao da truculencia da policia ou desse block pagos pelos partidos e empresarios que tem intereese em estabelecer o caos pensando que vão desmoralizar os governos, são falsos cidadãos que torcem contra o Brasil. Fora todos os "brasileiros" que torcem contra nosso pais, que ´´e o melhor do mundo pra se viver..... Acabemos os feudos instalados no país de norte a Sul de Leste a oeste. Cassemos todos esses caciques que se instalaram no pais há 20 anos como é o caso de São Paulo e outros.