Uma sociedade dominada pelo celular


Os avanços tecnológicos que os aparelhos celulares tiveram nos últimos anos são notáveis. São múltiplas as funções e possibilidades de uso que foram agregadas ao aparelho, são tantas que muitas vezes utilizar o aparelho como telefone chega a ser secundário.
Esse mar de conectividade dos celulares traz uma relação de dependência de seu uso contínuo. Para alguns, praticamente todos os momentos de sua vida devem ser compartilhados com todos, assim como a necessidade correlata de saber tudo sobre a vida dos outros. 
O contraditório deste processo é que, se toda a vida cotidiana deve ser compartilhada a todo o instante e se a todo o instante as pessoas devem estar conectadas para saber o que "está acontecendo", logo, fica a questão: em qual momento as pessoas vivem, de fato, os momentos de suas vidas que elas compartilham? Não estaríamos todos perdendo uma parte importante de nossa vida social?
Esse fenômeno, em maior ou menor escala, está cada vez mais introjetado em nossas sociedades. Vivemos em uma sociedade dominada pelo celular. 
Você duvida? As fotos abaixo talvez ajudem a mudar sua opinião...


Este grupo de formandos que saem do ensino médio após a prova final, finalmente estão livres dos grilhões da educação padronizada.


A imagem inspiradora de um torcedor por sua equipe em um jogo disputado.


Amigas desfrutando uma deliciosa pizza.


A imagem adorável do casal em um romântico primeiro encontro.


 Nesta imagem, velhas amigas relembrando os bons e velhos tempos com um delicioso café.


A balada realmente está imperdível, não podemos deixar de compartilhar e mostrar aos amigos que não vieram, o que eles estão deixando de aproveitar ao ficar em casa na internet, não é mesmo?


O happy hour com os amigos no bar está muito divertido e descontraído, ninguém tira o olho do celular...


Uma tradicional família americana aproveitando os bons momentos juntos.


Faltou mãos para comer o macarrão e acompanhar as atualizações no Facebook? Nada que o mercado não possa resolver para você.


Apreciar as belas pinturas de Thomas Cole, pela primeira vez, é um momento que deve ser aproveitado a cada segundo.


Nesta foto, vemos como o amor na adolescência é marcado por momentos puros e inesquecíveis.


O que é o risco de perder a vida, comparado a emoção de compartilhar imagens incríveis com o pessoal?


Nesta imagem, um adolescente simpático a capturar um momento em que ele nunca quer esquecer.


Amigas se divertem em uma festa de aniversário animada.


Esta imagem de um jovem vendo o pôr do sol da forma como foi feito para ser visto: através de uma tela pequena.


Esta foto comovente, mostrando a dificuldade - e a recompensa - da maternidade.


Quem disse que este é um fenômeno apenas urbano?


No momento do sono, uma pausa para o Smartphone, certo? Errado.


O que dizer desta adorável foto de um bebê entrando em sua primeira conta de rede social?
.

2 comentários:

Carlos Pimentel disse...

Teocentrismo -> Antropocentrismo -> Tecnocentrismo

Anônimo disse...

Levado a este nível de utilização, então, eu penso que Ziraldo tem razão: "o celular é coisa de idiotas". E Chico Buarque, vendo a merda generalizada, lamentou há anos atrás: "a idiotice nos rodeia, e eu mesmo tenho medo de ficar um idiota".