Orgulho por não estar ao lado dos vencedores no RS



Por Erick da Silva

Após a confirmação dos resultados do primeiro turno, Tarso Genro,  sua candidata a vice Abgail Pereira e Olívio Dutra  foram saudar a militância em frente ao comitê central em Porto Alegre.

Foi um momento emocionante.

Entre as centenas de militantes que estavam presentes, um sentimento de orgulho por ter uma figura com a trajetória de Olívio representando o PT e demais partidos da Unidade Popular venho acompanhado de um gosto amargo pelo resultado das urnas que sagraram vitoriosos a direita midiática.

Como um militante que apoiou estas candidaturas, tenho orgulho por não estar ao lado dos vencedores nas eleições do Rio Grande do Sul.


Me orgulho de ter lutado para tentar impedir que um candidato fabricado pela mídia conservadora conquistando mais uma vaga no senado, ampliando a bancada gaúcha de ex-comunicadores da RBS. Infelizmente Paulo Paim seguirá solitário como representante dos trabalhadores gaúchos no senado.

Como diria Darcy Ribeiro, um trabalhista que se fosse vivo jamais votaria em Lasier:

“Fracassei em tudo o que tentei na vida.
Tentei alfabetizar as crianças brasileiras, não consegui.
Tentei salvar os índios, não consegui.
Tentei fazer uma universidade séria e fracassei.
Tentei fazer o Brasil desenvolver-se autonomamente e fracassei.
Mas os fracassos são minhas vitórias.
Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu"

A frustração de não ganharmos, ainda que dura, não pode nos abalar ao ponto da paralisia. Nós saímos deste pleito com a cabeça erguida por ter travado o bom debate, por manter acesa a chama das mudanças representados em nosso projeto democrático e popular.

Como afirmou Tarso, "O Rio Grande do Sul, tradicionalmente não reelege seus Governadores. Devemos mostrar, na campanha deste segundo turno, que a continuidade de um bom projeto, que está em andamento, suplantando enormes dificuldades acumuladas por décadas, é melhor para o Estado, para o seu crescimento com mais renda, empregos e boas políticas de combate às desigualdades sociais e regionais. Não nos faltam argumentos nem realizações."

Agora começa o desafio do segundo turno, as dificuldades serão imensas, ainda maiores que no primeiro turno. A direita ganhou uma força inesperada que teremos pouco tempo para reverter. Mas a possibilidade de vitória eleitoral é real e o desafio de materializá-lo está nas mãos da aguerrida militância de esquerda do Rio Grande do Sul. Somente com esta força Tarso e Dilma poderão sair vitoriosos neste pleito, ativar esta força, encantá-la e recuperar o terreno perdido será o desafio para os dias que seguem até o segundo turno.
.

Um comentário:

Marco disse...

À militância de esquerda do Rio grande do Sul:

Apesar de não estarmos ombro a ombro na peleja,
Apesar de escrever dos rincões de Goiás, uma terra que não se libertou dos grilhões dos coronéis,
Apesar de enfrentarem a Rede Globo sem atravessadores - e vencerem,
Apesar das imensas dificuldades que a luta pela emancipação de um povo impõe,

Sempre terão meu apoio!

Antes cada estado tivesse um Olívio Dutra para se orgulhar!

Vocês são bravos guerreiros que inspiram os sonhadores das demais regiões do país a construir um Brasil mais justo.

Marco - O Antipig