EUA e Cuba anunciam retomada das relações diplomáticas após 53 anos


2014 encerra-se com um momento de grande importância para o continente Americano: EUA e Cuba anunciaram nesta quarta-feira (17/12) a retomada de um diálogo histórico de aproximação diplomática.

O líder cubano Raúl Castro discursou ao mesmo tempo que Obama anunciando a retomada das relações entre os dois países.



Barack Obama falou em 'fracasso do isolamento', disse que os EUA vão aumentar as trocas comerciais e de informação com Cuba, facilitando as viagens à ilha, o envio de mais remessas ao país e o uso de cartões de crédito/débito em território cubano.

"São os passos que eu posso dar como presidente.(...) Não podemos continuar fazendo a mesma coisa por 50 anos e esperar um resultado diferente. Aos cubanos, os EUA estendem a mão de amizade. Aos que não concordam com a decisão, respeito sua paixão e seu compromisso com a democracia."
"Hoje estamos fazendo essas mudanças porque é a coisa certa a se fazer, para criar um futuro melhor para os cubanos, para os americanos, para todo o nosso hemisfério e para o mundo."


Raúl Castro diz que decisão merece 'respeito do povo'. "Conclamo o governo dos Estados Unidos a remover os obstáculos que impedem ou restringem os vínculos entre nossos povos, as famílias ou os cidadãos de ambos os países, em particular os relativos às viagens, a correspondência postal e telecomunicações", disse Raul.
"Os progressos alcançados nas trocas sustentadas mostram que é possível encontrar solução para muitos problemas. Devemos aprender a arte de conviver de forma civilizada com nossas diferenças".

O fim do embargo americano à ilha depende, contudo, de voto no Congresso, mas que Obama anunciou sua disposição de levar a discussão adiante.

Tanto o líder cubano Raúl Castro quanto o americano Barack Obama agradeceram o papa e o Canadá por atuarem como facilitadores no diálogo bilateral.

Ainda teremos um longo caminho para a normalização das relações entre as duas nações, mas o anuncio feito pelos dois lideres aponta para uma tão aguardada superação dos atritos e das repetidas hostilidades contra o regime cubano pelos EUA.

Um comentário:

Edson Junior disse...

"Aos que não concordam com a decisão, respeito sua paixão e seu compromisso com a democracia."
Por quê Buraco O Bhrama, vc não respeita a democracia?